Noticias
Publicado : quinta-feira, 14 de agosto de 2014
13:11
Por Portal Campinas News

Clima econômico é o pior desde 1991



O Indicador de Clima Econômico (ICE) brasileiro atingiu em julho o menor nível desde janeiro de 1991, aos 55 pontos, informou ontem a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A perspectiva cada vez menor para o crescimento da economia do País este ano foi o que mais pesou para o resultado.

O índice é medido no âmbito da Sondagem da América Latina, realizada pela FGV em parceria com o instituto alemão Ifo. Na região, a percepção sobre o ambiente de negócios também piorou, mas em menor medida. No conjunto de países latinos, o ICE caiu 7% em relação abril, para 84 pontos.


No caso do Brasil, o recuo foi de 22,5%, também em comparação a abril. A pesquisa é apurada a cada três meses, junto a analistas do mercado financeiro e alguns agentes de bancos centrais, sem ligação política ou partidária.

Segundo a economista Lia Valls, do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV, o resultado foi influenciado pela percepção sobre o momento atual e pelas expectativas. "O que pode realmente ter influenciado muito foi a perspectiva de menor crescimento econômico. Isso é algo que pesa", disse.


"Temos a informação do mercado. A cada semana que sai, (a expectativa para) o PIB (Produto Interno Bruto) é revisado para baixo. Há perspectiva de que a balança comercial vai piorar, a inflação está elevada", disse.

Na segunda-feira, o grupo formado por profissionais de cerca de 100 instituições financeiras consultados pelo Banco Central (BC) reviu para baixo a estimativa de crescimento neste ano pela 11.ª vez consecutiva. O Boletim Focus, relatório divulgado semanalmente, mostrou que o PIB deve ter expansão de apenas 0,81% em 2014.



A piora do ICE brasileiro ocorre principalmente por fatores domésticos, ressaltou Lia. "Houve aumento muito grande no peso que se dá aos problemas que o Brasil tem, como inflação, falta de confiança no governo, problemas que antes não eram apontados como tão complicados para o País. Antes, era o problema da falta de competitividade", citou.


Argentina. Além do Brasil, a Argentina teve sensível piora no ICE, que passou de 75 pontos em abril para 57 pontos em julho. A principal influência foi, segundo a FGV, a dificuldade de o país renegociar sua dívida com os holdouts, fundos hedge que possuem títulos da dívida pública argentina que não entraram nas reestruturações de bônus feitas pela Casa Rosada em 2005 e 2010.


Pressionado por esses resultados, o clima econômico da América Latina piorou, mesmo com a melhora no indicador mundial, que subiu 3% na esteira dos indícios de recuperação nos Estados Unidos e do otimismo com a Ásia. Com a queda do ICE brasileiro em julho, o único país com pior clima econômico é a Venezuela, aos 20 pontos, patamar mínimo da pesquisa.
Via MSN

Portal Campinas News 13:11 ,

Portal Campinas News on 13:11 , . .

0 comentários for "Clima econômico é o pior desde 1991"

Deixe um Comentário! Será um Prazer Ter a sua Interação Conosco!