Noticias

Veja as profissões que logo serão substituídas por robôs, segundo pesquisadores de Oxford

Por Portal Campinas News | quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 | Postado em

No Reino Unido alguns pesquisadores da Universidade de Oxford fizeram uma pesquisa com sobre 700 profissões e apontaram quais delas têm mais chances de serem substituídas por robôs.

Por meio de uma metodologia elaborada, os cientistas conseguiram estimar as chances de um emprego ser automatizado, graças a uma nova fase do avanço da tecnologia sobre os cargos.


Essa não é a primeira Revolução que estamos passando, no passado a Revolução Industrial, que ocorreu na Europa entre os séculos XVIII e XIX, foi uma época em que o mundo experimentou uma transição do processo de manufatura artesanal para o de máquinas. Séculos depois, com o advento do avanço da tecnologia, vimos as máquinas substituírem os trabalhos mais simples, especialmente nas linhas de montagem. Agora, com o avanço da robótica e inteligência artificial, o que devemos aceitar é que nenhum cargo está livre da automação.


“No passado, isso estava restrito a atividades repetitivas”, disse o pesquisador Carl Frey, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, à BBC. “Agora, há um imenso volume de dados sendo gerados. A tecnologia de computação se sofisticou. Equipamentos eletrônicos usados na robótica estão melhores e mais baratos“.


Isso permite identificar padrões e automatizar atividades não repetitivas, como fazer uma tradução ou dirigir um carro, coisas que não acreditávamos que podíamos automatizar há uma década”.


Em seu estudo, realizado ao lado de Michael Osbourne, um especialista sobre o tema, Frey analisou um total de 702 tipos de profissões de “colarinho branco” com salários anuais superior a 40 mil libras (cerca de R$ 160 mil). Sua intenção era identificar quais corriam mais risco de serem automatizadas.


Brasil registrou 205 milhões de ciberataques no último ano

Por Portal Campinas News | | Postado em ,



Você sabia que o Brasil está entre os alvos preferidos dos hackers? Um estudo realizado pela empresa de segurança Psafe e que tem o título de DFNDR Lab, aponta que ao longo do ano de 2017 foram detectados mais de 205 milhões de ciberataques  em todo Brasil.

No último trimestre foram registados 70 milhões de ataques, 66,1 milhões deles através de links maliciosos e outros 3,1 milhões por força de malware. Os brasileiros acederam, em média a oito links maliciosos por segundo nos últimos três meses do ano.

As aplicações de mensagens e comunicação instantânea, como WhatsApp, viram o número de ataques duplicar no quarto trimestre, passando de 21,3 milhões para 44,1 milhões, o que representa um crescimento de 107%. 

O prefirido deles é O WhatsApp é o meio preferido para espalhar ataques, correspondendo a 66% do total registado, ou seja, cerca de 29 milhões de incidências.


O segundo tipo de ataque mais comum, realizado com recurso a links maliciosos, utilizou publicidade suspeita e totalizou 6,3 milhões de detecções no período, seguido por phishing bancário, com 4,5 milhões de casos. Na parte de malwares foram listadas fraudes por SMS (3,1 milhões), cópias maliciosas (755 mil) e ataques bancários (6 mil).

Taxa Selic deve ser reduzida de 7% para 6,75%.

Por Portal Campinas News | | Postado em , , ,


A taxa de juros do país deve ter um novo patamar mínimo recorde a partir desta quarta-feira. Termina hoje a reunião do Comitê de Política Monetária que deve reduzir a Selic de 7% para 6,75%.

O Banco Central já sinalizou, por meio de documentos e declarações, que um dos maiores ciclos de flexibilização monetária da história do Brasil está perto de fim, mas ainda há dúvidas de quando este fim se dará.

Para parte do mercado ainda há espaço para mais uma redução de 0,25 ponto na próxima reunião. Isso aconteceria devido à grande ociosidade deixada pela crise, que deve fazer o país crescer sem grandes pressões inflacionárias do lado da demanda.


Seria também uma forma de evitar constrangimentos como o de 2017, quando o Banco Central precisou explicar por carta porque não atingiu a meta de inflação prevista pelo governo. O índice fechou o ano em 2,95%, cinco centésimos abaixo do piso da meta.


De qualquer forma, se a Selic ficará em 6,50% ou 6,75% pouca diferença faz para um mercado que se acostumou a ver os juros na casa dos dois dígitos ao longo dos últimos quatro anos.


A trajetória de queda da Selic começou em setembro de 2015, quando o índice cravava 14,25%.


A inflação, porém, batia quase 10% na época, deixando os juros reais muito parecidos com os atuais.


Na ata da reunião do Copom desta quarta-feira, economistas esperam entender as expectativas do banco para a economia nos próximos meses, assim como o impacto do atraso na aprovação da reforma da Previdência nos resultados fiscais do país.


Reformas como a da Previdência são essenciais para os juros do país caiam abaixo dos 7% e se assemelhem a patamares de países desenvolvidos.


Esse cenário, no entanto, parece cada vez mais distante. Além disso, o fim da ociosidade na indústria a partir de 2019 deve fazer com que o crescimento aumento a pressão inflacionária.


A única certeza, no momento, é que o cenário de Selic baixa e inflação sob controle só é garantia em 2018.

Asteroide 2018 CB vai passar a uma distância bem pequena da terra

Por Portal Campinas News | | Postado em ,




O asteroide 2018 CB vai passar a uma distância equivalente a um quinto do caminho da Lua até a Terra esta sexta-feira, mas a NASA refere que passará «com segurança» pelo planeta.

O 2018 CB tem entre 15 e 40 metros e a NASA tem grande interesse, pois estará a 64 mil quilómetros do nosso planeta. «Embora o 2018 CB seja muito pequeno, pode ser maior que o meteoro de Cheliabinsk, que invadiu a atmosfera da Rússia há cinco anos», referiu Paul Chodas, diretor do NEOO, na Califórnia. «Os asteróides deste tamanho não chegam tão perto do nosso planeta com frequência – talvez apenas uma ou duas vezes por ano», completou.

O meteoro de Cheliabinsk entrou na atmosfera da Rússia no dia 15 de fevereiro de 2013.

"Envolvimento" vira nova aposta para hit do carnaval com refrão chiclete

Por Portal Campinas News | | Postado em ,



 MC Loma e as Gemêas Lacração Foto: Reprodução/Instagram

Esse hit é chiclete na tua mente vai ficar." Essa poderia ser a receita para uma música se tornar trilha para o carnaval, mas é o trecho da música "Envolvente", de MC Loma. Que olha só: já é a nova aposta para hit do carnaval em 2018.


O clipe da faixa (assista abaixo), que tem participação duas irmãs conhecidas como Gemêas Lacração, saiu em 20 de janeiro.


Desde então, a música com apenas quatro estrofes e versos repetitivos:


Acumulou cerca de 3,5 milhões de visualizações no YouTube

Conta com quase 30 mil comentários na plataforma digital

Solange Almeida citou o hit durante uma gravação em estúdio

Anitta fez ao menos dois vídeos durante suas férias cantando trechos da faixa

Em um deles, imita exatamente a atuação de MC Loma na abertura do clipe

Virou meme

Internautas pediram a inserção da música no Spotify

MC Loma fez sua estreia nos palcos



MC Loma e as Gemêas Lacração (ou Paloma Santos e as irmãs Mariely e Mirella Santos) são do Recife e fizeram o primeiro show em 28 de janeiro. Loma fez questão de postar um trecho no Instagram e não escondeu o nervosismo com a novidade.


"Gente, obrigada por tudo, amo vocês, nos receberam superbem, fiquei um pouco nervosa, mas minhas irmãs comigo deu tudo certo. Primeiro de muitos, porque sou dessas. Me chamaaaaa que eu voooou."


O jeito espontâneo nos versos (e na atuação do clipe), além da ausência de preocupação na produção, talvez sejam o segredo da música, que se tornou viral. E, mesmo com tudo bem no comecinho, elas não devem parar por aí.



Em um trecho, Loma canta: "Sento, sento, sento, sento, sento e quico devagar / Tu não precisa exagerar, muito menos se empolgar / Tu vai sentar, tu vai sentar, tu vai sentar devagar / O nosso bonde é sinistro / Vem cá que eu vou te ensinar / A descer, a subir, a quicar e reboar / A quicar e rebolar".


No fim, a MC diz: "E aê, DJ? Escama só de peixe / Uai / Sem glúteos".


Uma semana após o lançamento de "Envolvimento", MC Loma produziu e lançou o clipe de "Patricinha de Favela", com a mesma fórmula: zero produção + refrão chiclete.


O novo vídeo, com menos sucesso que o primeiro. Por enquanto, está no caminho do primeiro milhão de views.


Irei postar de novo sim!!!! @anitta meu amor brigada te amo muito que Deus lhe der muitas coisas boaa na sua vida e que lhe der muito sucesso espero um dia se Deus quiser lhe conhecer minha divaaaaa ?????????? TE AMOOOO @anitta

MEU DEUSSSSSSSS JESUUUUUUS EU TO MORRENDOOOOOOOO ??? OBRIGADA DEUS E OBRIGADA A TODOS VOCÊS AGRADEÇO MUITOOOOO @anitta OBRIGADA MEU AMOOOOOR VOCÊ É MUITOOOO PERFEITAAA MINHA DIVAAAAA ???????????????

@solalmeidaa meu Deuss, outra diva cantando minha música, obg primeiramente a Deus e segundamente aos meus fãs que estão comigo e com as meninas SEMPRE, nunca abandonam a gente. Amo vocês. todas essas conquistas não foi só eu e as meninas que conquistou, foram vcs. Obg de coração ?????????????

Primero show meu e das "MINHAS" GÊMEAS LACRAÇÃO. Gente, obg por tudo, amo vcs, nos receberam super bem, fiquei um pouco nervosa mas minhas irmãs comigo deu tudo certo. Primeiro de muitos pq sou dessas, me chamaaaaa que eu voooou, UAAAAAAIIII??? #SomosUmaSo #irmãs #AmoMeusfãs #amoasgay #MinhasGemeasLacracão #SouEuMerma #escamaSoDePeixee #Cebruthius JUNTAS SEMPRE, AMO VOCÊS? @eumirellasantos @eumarielysantos



Veja, abaixo, a letra de 'Envolvimento', de MC Loma:


Envolvimento diferente eu ensino a vocês (a vocês)


Eu vou sentar e vou quicar e vou descendo de uma vez (de uma vez)


Esse hit é chiclete na tua mente vai ficar


Sento, sento, sento, sento, sento e quico devagar


Tu não precisa exagerar, muito menos se empolgar


Tu vai sentar, tu vai sentar, tu vai sentar devagar


O nosso bonde é sinistro


Vem cá que eu vou te ensinar


A descer, a subir, a quicar e rebolar


A quicar e rebolar


, DJ?


Escama só de peixe


Uai


Sem glúteos


Reforma da Previdência: conheça ponto a ponto o texto

Por Portal Campinas News | | Postado em ,

Relator da proposta de reforma da Previdência que tramita na Câmara, o deputado Arthur Maia (PPS-BA) apresentou nesta quarta-feira (7) uma nova versão do projeto.

Segundo ele, será essa a versão que irá a voto no plenário da Casa (veja o ponto a ponto da proposta mais abaixo).

Apesar de ter indicado em entrevista nesta semana, que, na busca por votos, permitiria um acúmulo maior de benefícios e criaria uma regra de transição para servidorespúblicos, o relator não incluiu essas mudanças no texto.

Na prática, o único ponto que ele informou ter alterado do fim do ano até agora foi o que permite que cônjuges de policiais mortos em serviço recebam pensão integral.

Principais mudançasj

As principais mudanças feitas desde o fim do ano passado, em relação ao texto aprovado na comissão, são:

Não alterar o regime de aposentadoria do trabalhador rural;


Não alterar o Benefício de Prestação Continuada (BPC), destinado a pessoas com deficiência e pessoas com mais de 65 anos que não têm meios de se manter;


Diminuição do tempo de contribuiçãode 25 para 15 anos para trabalhadores da iniciativa privada terem aposentadoria parcial;


Pensão integral para viúvos e viúvas de policiais mortos em combate.


Próximas etapas

Início da discussão - Intenção é iniciar a discussão da proposta no plenário no próximo dia 19


Votação - Líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que a intenção é concluir a votação na Câmara até 28 de fevereiro.


Novas mudanças no texto - Relator da reforma, deputado Arthur Maia (PPS-BA), diz que admite fazer novas alterações desde que tragam votosfavoráveis à aprovação da proposta. O raciocínio é o mesmo do ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo). Marun deu como exemplo de eventuais mudanças: uma regra de transição para servidores públicos, incluindo policiais; modificação no acúmulo de aposentadoria e pensão; equiparação previdenciária de policiais e agentes penitenciários.


Como era, como ficou

Veja, ponto a ponto, como são as regras hoje, como era a proposta original do governo, o que propôs a comissão especial da reforma da Previdência e como ficou a nova versão do texto que irá ao plenário:

IDADE MÍNIMA

Como é hoje: É possível se aposentar sem idade mínima, com 35 (homem) ou 30 (mulher) anos de contribuição; ou com idade mínima de 65 anos (homem) e 60 anos (mulher), com tempo mínimo de 15 anos de contribuição.


Como era a proposta original do governo: 65 anos para homens e mulheres, com 25 anos de contribuição.


Como ficou na comissão: 62 anos para mulheres e 65 anos para homens, com 25 anos de contribuição.


Como ficou No texto que vai a plenário: 62 anos para mulheres e 65 anos para homens, com 15 anos de contribuição.


BENEFÍCIO INTEGRAL

Como é hoje: A soma da idade e do tempo de contribuição deve totalizar 85 (mulher) e 95 (homem), respeitado o tempo mínimo de contribuição de 30 anos (mulher) e 35 anos (homem).


Como era a proposta original do governo: 49 anos de contribuição para atingir 100%, com valor estabelecido por 51% das médias dos salários, mais 1% por ano de contribuição.


Como ficou na comissão: 40 anos de contribuição para atingir 100%. O valor da aposentadoria corresponderá 70% do valor dos salários do trabalhador, acrescidos de 1,5% para cada ano que superar 25 anos de contribuição, 2% para o que passar de 30 anos e 2,5% para o que superar 35 anos.


Como ficou o texto que vai a plenário: 40 anos de contribuição para atingir 100%. O valor da aposentadoria corresponderá 60% do valor dos salários do trabalhador, acrescidos de 1% para cada ano que superar 15 anos de contribuição, de 1,5% para cada ano que superar 25 anos de contribuição, 2% para o que passar de 30 anos e 2,5% para o que superar 35 anos.


REGRA DE TRANSIÇÃO

Como era a proposta original do governo: a partir de 45 anos para mulheres e de 50 anos para homens, com 50% de pedágio sobre o que faltar para cumprir 35 anos de contribuição para os homens e 30 anos para as mulheres.


Como ficou na comissão: idade mínima começará em 53 anos para mulheres e 55 anos para homens, sendo elevada em um ano a cada dois anos. Haverá um pedágio de 30% sobre o tempo de contribuição que faltar para atingir 35 anos (homens) e 30 anos (mulheres).


Como ficou o texto que vai a plenário: igual ao aprovado na comissão.


APOSENTADORIA RURAL

Como é hoje: o trabalhador rural se aposenta com 55 anos (mulheres) e 60 (homens) e precisa comprovar 15 anos de trabalho no campo. O produtor contribui com um percentual sobre a receita bruta da produção.


Como era a proposta original do governo: 65 anos de idade mínima, com 25 anos de contribuição.


Como ficou na comissão: idade mínima de 57 anos para mulheres e de 60 anos para homens, com mínimo de 15 anos de contribuição


Como ficou o texto que vai a plenário: projeto não muda regra atual


BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA (BPC)

Como é hoje: vinculado ao salário mínimo, com idade mínima de 65 anos para idosos de baixa renda.


Como era a proposta original do governo: desvinculação do salário mínimo e idade mínima de 70 anos.


Como ficou na comissão: mantida vinculação do salário mínimo, com idade mínima começando em 65 anos, subindo gradativamente até atingir 68 anos em 2020


Como ficou o texto que vai a plenário: projeto não muda regra atual


PENSÕES

Como é hoje: É permitido o acúmulo de pensão com aposentadoria.


Como era a proposta original do governo: desvinculação do salário mínimo e impossibilidade de acumulação de aposentadoria e pensão deixada por cônjuge.


Como ficou na comissão: mantida vinculação ao salário mínimo, com possibilidade de acumular aposentadoria e pensão deixada por cônjuge, com o limite de até dois salários mínimos.


Como ficou o texto que vai a plenário: igual ao aprovado na comissão, com a exceção dos cônjuges de policiais mortos em serviço, que terão direito a pensão em valor integral.


SERVIDORES PÚBLICOS

Como é hoje: há um regime próprio e separado da Previdência dos trabalhadores privados. Parte das aposentadorias vem da contribuição dos próprios servidores e outra parte, do governo.


Como era a proposta original do governo: idade mínima de 65 anos e 25 anos de contribuição.


Como ficou na comissão: idade mínima de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens. Atingida a idade mínima, fica garantido o direito de receber de aposentadoria o valor integral do salário no último cargo, além de ter reajuste equivalente ao dos servidores ativos.


Como ficou o texto que vai a plenário: igual ao aprovado na comissão


PROFESSORES

Como é hoje: para professores públicos, os requisitos são 55 anos de idade, com 30 anos de contribuição para o homem e 50 anos de idade, com 25 anos de contribuição para a mulher. Para o regime geral, exige-se apenas tempo de contribuição (30 anos homem e 25 anos mulher), independente de idade mínima.


Como era a proposta original do governo: idade mínima de 65 anos, com 25 anos de contribuição


Como ficou na comissão: idade mínima fixada em 60 anos, com 25 anos de contribuição


Como ficou o texto que vai a plenário: na iniciativa privada, idade mínima fixada em 60 anos, com 15 anos de contribuição. No serviço público, idade mínima de 60 anos, com 25 anos de contribuição.


POLICIAIS FEDERAIS E POLICIAIS LEGISLATIVOS FEDERAIS

Como é hoje: Aposentadoria voluntária com proventos integrais, independentemente da idade, após 30 anos de contribuição, com pelo menos, 20 anos de exercício policial, se homem; após 25 anos de contribuição, com pelo menos 15 anos de exercício policial, se mulher. Os policiais legislativos são considerados servidores públicos.


Como era a proposta original do governo: idade mínima de 65 anos, com 25 anos de contribuição.


Como ficou na comissão: idade mínima de 55 anos. Para homens, exigência de 30 anos de contribuição, sendo 25 em atividade policial. Para mulheres, exigência de 25 anos de contribuição, sendo 20 em atividade policial.


Como ficou o texto que vai a plenário: igual ao aprovado na comissão


PARLAMENTARES

Como é hoje: Desde 1997, obedecem às regras dos servidores públicos, com idade mínima de 60 anos e 35 anos de contribuição, sendo proibida acumulação com outra aposentadoria do setor público. Valor dos proventos calculado igual ao de servidor público.


Como era a proposta original do governo: passariam a ser vinculados ao Regime Geral de Previdência Social (RGPS), cabendo à União, estados e municípios definirem regras de transição.


Como ficou na comissão: passam a ser vinculados ao RGPS, mas com transição diferente para o parlamentar federal. Nesses casos a aposentadoria será, inicialmente, aos 60 anos, subindo a partir de 2020 até o limite de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, com 35 anos de contribuição. Caberá a estados e municípios definirem regras de transição de seus respectivos parlamentares.


Como ficou o texto que vai a plenário: igual ao aprovado na comissão


Saiba ponto a ponto como está o relatório da reforma da Previdência (Foto: Arte/G1)

Fonte: G1

Morte de Domingos Montagner repercute na imprensa internacional

Por Portal Campinas News | sexta-feira, 16 de setembro de 2016 | Postado em , ,

Resultado de imagem para domingos montagner

A morte do ator Domingos Montangner repercutiu na imprensa internacionalcomo a perda de um dos atores mais amados pelo público no auge de sua carreira. "Ator brasileiro se afoga no set do próprio programa de TV", destacou, a "ABC", falando sobre o rio São Francisco, que dá nome à trama "Velho Chico".

A emissora "CNN" e o jornal "The New York Times" também destacaram o assunto, mostrando que o corpo do ator foi achado a 185 metros abaixo da superfície, a cerca de 320 metros do local onde havia sido visto pela última vez.

Algumas "confusões" também ocorreram e o tabloide britânico "The Mirror" afirmou que Montagner gravava cenas de "Velho Chico", o que não era o caso. Na verdade, ele havia acabado de almoçar com a atriz Camila Pitanga e decidiu dar um mergulho no rio.

O drama vivido por Camila foidestaque na prestigiada revista americana "Time". A reportagem conta que ela gritou por socorro, mas muitos pensavam que a atriz estivesse apenas representando e foram para margem do rio assistir a "cena da novela".

"Daily Mail", "Newsweek", "Huffington Post", "Metro", "Independent" e outros também divulgaram a tragédia.


Via O Dia